Ano Novo é realmente vida nova?

Ano Novo é realmente vida nova?

Por Abelardo Lemos

Está em nós a idéia de que a passagem de ano é um momento de mudanças em nossa vida. Pode ser.

Algumas pessoas esperam simplesmente o milagre da mudança, que o ano novo trará a vida nova. Outras planejam e não cumprem, não executam nada do planejado. Uma pequena parcela realmente planeja e executa a mudança.

Considero todo o ciclo de planejamento e execução da mudança pessoal como uma negociação que o indivíduo faz consigo mesmo.

A tradição judaica considera sagrado o momento em que duas pessoas tentam estabelecer uma troca em que seja otimizado o ganho para os dois. Consideram, também, o inferno quando um dos negociadores se considera perdedor, entendendo que os dois perderam.
Falta de consciência é o que leva à espera do milagre ou ao planejamento de metas não factíveis. Já ouvi comentários do tipo: “estabeleci as metas sabendo que jamais tentaria alcançá-las”

Às vezes há uma descrença intrínseca, essencial, na própria capacidade de realizar mudanças pessoais. Há boicote de toda forma.

Will Schutz lembra que a pessoa só muda se quiser. Quando quer mudar, necessita de duas coisas ao mesmo tempo: consciência e autodeterminação. Há pessoas totalmente conscientes de que precisam parar de fumar, de perder peso, de praticar atividade física, estudar inglês etc, mas não tem a mínima disposição para isso. Outras pessoas são determinadas mas não enxergam a necessidade de mudança.

Então vamos negociar para ganhar. Vamos aproveitar o momento, o clima, para refletir se precisamos mudar, identificar quais são essas mudanças e como fazer para alcançá-las.

Sugiro um número pequeno de metas: uma, duas, no máximo cinco. O uso brutal de honestidade para estabelecer a possibilidade de alcance (a meta é atingível?). A descrição de como fazer. Prazos compatíveis com a realidade. Resultados mensuráveis.
Tudo isso com uma suave e carinhosa firmeza; por escrito para que não haja dúvidas, aliás, dúvida atrapalha bastante essa tarefa.

Sugiro, ainda, que após, feito o plano, partir para o cumprimento. Aí entra a tal da autodeterminação. Com carinho e paciência, olhar para o plano todo dia, como quem faz uma oração diária; acompanhar cada resultado, comemorar pequenas vitórias.

Assim será alcançada a mudança. Bom Ano Novo e Feliz Pessoa Nova!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *